A politicagem em Presidente Medici tem tomado de conta dos espaços públicos.

Num ato de desespero devido a força exercida pelo pré candidato da oposição Emílio Weba, o Hospital da Criança, que é uma unidade de saúde do Governo do Estado, virou alvo de inúmeros assédios morais, intimidação e chantagens por parte da diretora do hospital Lucineia Coelho, que é a irmã do Prefeito Dr. Caçula.

A certeza de recorrência dos fatos encontram-se num desabafo exposto por um funcionário que não identificamos na publicação, mas que pede socorro a Acqua, empresa responsável pela administração hospitalar.

A denúncia nos faz recordar o que diz o artigo 300 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737 de 1965): É crime o servidor público valer-se da sua autoridade para coagir alguém a votar ou não votar em determinado candidato ou partido. A pena é de até seis meses de detenção, mais multa.

Segue na na íntegra a denúncia compartilhada no whatsapp: